Gerenciamento para uso sustentável do Aquífero Urucuia na fronteira agrícola do Oeste da Bahia

Para que os recursos hídricos subterrâneos sejam aproveitados adequadamente, é fundamental o entendimento de como estão distribuídos os sistemas aquíferos, suas características hidrogeológicas e hidrogeoquímicas, bem como entender como atualmente estes recursos estão sendo utilizados.

O Sistema Aquífero Urucuia, é um dos maiores e mais relevantes do país em volume armazenado disponível e extensão, estando presente principalmente na parte oeste do Estado da Bahia, com porções menores nos Estados do Piauí, Maranhão e Tocantins. São necessários ainda estudos voltados para seu potencial hídrico, quanto aos seus mecanismos de recarga, fluxos, etc. O aquífero é essencial para a manutenção do fluxo de base da bacia do rio São Francisco, estando também sujeito às variações climáticas que impõem períodos de seca, que prevê que se intensificarão em um futuro próximo.

O desenvolvimento da agricultura irrigada da região do oeste baiano está em franca expansão. Atualmente, esta região é a produtora do algodão de mais alta qualidade do Brasil, sendo a segunda maior produtora nacional. São também cultivados na região: soja, milho, café arroz, feijão e a fruticultura. O desenvolvimento destes cultivos e da região produtiva, está intrinsicamente associado aos esforços da Associação de Agricultores Irrigantes da Bahia (AIBA), cujos mais de 1.300 associados são responsáveis por mais de 95% da produção local. A AIBA tem se empenhado para a obtenção de um melhor conhecimento dos recursos hídricos superficiais e subterrâneos na região, bem como no monitoramento contínuo e no gerenciamento sustentável destes recursos.

Em entrevista ao jornal Correio da Bahia no dia 20 de novembro 2019, o pesquisador Everaldo Mantovani, da Universidade Federal de Viçosa, evidencia alguns destes esforços e explica a importância de estudos hidrogeológicos para este gerenciamento e para a preservação dos rios do Oeste da Bahia. A matéria completa pode ser lida aqui.

Uma das ferramentas mais poderosas de gestão são os modelos hidrogeológicos numéricos de fluxo subterrâneo pois permitem o entendimento das características do sistema aquífero e a simulação de diferentes cenários de explotação do aquífero sob diferentes condições climáticas.

A Water Services and Technologies, em parceria com a Universidade Federal de Viçosa e a Universidade Federal do Rio de Janeiro, desenvolverá um sistema de gestão para a AIBA que permitirá, ao usuário verificar online o resultado de diferentes cenários de exploração do aquífero, através da inserção ou remoção de poços, simular a resposta do aquífero e níveis de água e rebaixamentos resultantes. Este sistema será desenvolvido utilizando o software de simulação de fluxo de águas subterrâneas Visual MODFLOW. Ao final do projeto está prevista uma capacitação dos técnicos da AIBA bem como do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos – INEMA, para a utilização do sistema como ferramenta nas suas análises de outorga e acompanhamento.

Marques e Silva Junior (2018). Projeto de estudo do potencial hídrico da região Oeste da Bahia: Quantificação e Monitoramento da Disponibilidade dos Recursos do Aquífero Urucuia no Estado da Bahia. Apresentação disponível em: https://www.slideshare.net/equipeagroplus/modelagem-aquifero-urucuia

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp